Estudo mostra que mulheres acima dos 50 anos estão mais felizes - Dra. Maria Claudia Giometti

Estudo mostra que mulheres acima dos 50 anos estão mais felizes

Já se foi a época em que a sociedade pensava que a vida das mulheres acabava assim que elas entravam na menopausa. Hoje em dia, com o avanço da medicina, as novas oportunidades de trabalho e ainda uma sociedade mais inclusiva, mulheres maduras estão redescobrindo seu poder, sua beleza e vitalidade e começando uma vida feliz e de muito sucesso aos 50 anos.

As mulheres que agora têm mais de 50 encontram um mundo muito diferente de quando elas tinham 20 ou 30 anos. E esse mundo, para elas, oferece oportunidades melhores. Prova disso é que muitas mulheres estão experimentando maior empregabilidade, mais libido e qualidade de vida nessa fase.

A chamada “juventude”, inclusive, é um conceito que já se alterou bastante para elas. Afinal, se nessa nova etapa se sentem mais livres, capazes e preparadas para alcançar objetivos pessoais, as mulheres também acabam se sentindo mais ativas e confortáveis com seus corpos e aparência.

Se há algumas décadas, a expectativa era de que mulheres com 50 anos estivessem em seus lares cuidando apenas de seus afazeres domésticos ou de seus netos, hoje esse universo parece ter se alargado: elas também estão em cargos de chefia, ativas em seus trabalhos e brilhando como nunca.

Aumento da expectativa de vida

O aumento da expectativa de vida da população em geral é um dos fatores que explicam essa mudança. Se em 1940, a expectativa de vida era de cerca de 48 anos, atualmente ela se aproxima de 80 anos.

É interessante notar, nesse sentido, que as mulheres viram sua expectativa de vida quase dobrar, o que fez com que elas passassem a viver quase uma vida nova e repleta de perspectivas a partir dos 50 anos.

Hoje, as mulheres acima dos 50 encontram novas oportunidades de lazer, romance, cuidados pessoais e experiências, o que significa que a menopausa está muito longe de significar um fim. Pelo contrário, ela pode marcar um belo recomeço.

Curva U

Um estudo feito por dois economistas, David Blanchflower e Andrew Oswald, chamado de “Curva U”, mostra que homens e mulheres são mais felizes a partir dos 46 anos. Nessa idade, afinal, com frequência já foram superadas algumas das preocupações comuns da vida, como encontrar uma carreira, formar uma família e criar os filhos.

Por volta dos vinte anos, no entanto, é o momento em que todas as expectativas e tensões em relação ao futuro estão emergindo. Durante essa idade, portanto, é comum que as pessoas idealizem ou se preocupem demais com aquilo que precisam conquistar. Já por volta dos 30 anos costumam ocorrer frustrações e arrependimentos que também trazem um certo peso para o dia a dia.

É por isso que, de acordo com o estudo Curva U, os trinta anos são a parte mais “baixa” da vida e, dessa maneira, representam a pior idade para homens e mulheres.

Já a partir dos 46 anos, as expectativas não estão mais tão presentes com tanta intensidade e as pessoas, enfim, se permitem viver mais o presente e acabam sendo mais felizes.

Revolução sexual

Os 50 anos em geral também indicam que as mulheres já tiveram mais experiências – isso tanto no mercado de trabalho quanto na vida afetiva e familiar. Justamente por isso, essa idade também ajuda a evitar problemas mais sérios como, por exemplo, uma gravidez indesejada.

A revolução sexual também foi uma etapa muito importante para que as mulheres de hoje pudessem decidir mais sobre seus próprios destinos. Foi só nas décadas de 60 e 70 que a pílula anticoncepcional chegou às farmácias, fazendo com que elas pudessem optar por ter filhos ou não.

Esse controle maior sobre a própria capacidade reprodutiva teve reflexos bem significativos na vida das mulheres. Foi a partir desse momento, por exemplo, que elas passaram a ocupar mais sistematicamente seu espaço na vida pública e no mercado de trabalho.  

Mulheres acima dos 50: a idade ainda é um problema?

Para algumas mulheres, como já vimos, a idade já deixou de ser um fator limitante. Hoje, vemos atrizes em Hollywood que, a partir dos 50, se tornaram ainda mais famosas e protagonistas de suas histórias.

No Brasil, no entanto, ainda existe bastante preconceito contra mulheres nessa idade, que costumam ser vistas como velhas ou ultrapassadas. De acordo com a consultoria PowerAge, especializada no público feminino 50+, muitas mulheres evitam declarar publicamente suas idades por temerem prejuízos no mercado de trabalho ou no campo amoroso.

É preciso quebrar essas barreiras, preconceitos e tabus. As mulheres acima dos 50 anos devem sim aproveitar os prazeres e liberdades dessa fase da vida. Esse grupo de mulheres está cada vez mais ativo, antenado, livre e feliz, e esse é apenas o início dessa mudança de comportamento.

Gostou desse conteúdo? Então, compartilhe com suas amigas que têm mais de 50 anos. E lembre-se: a vida está apenas começando!